domingo, 5 de janeiro de 2014

Ficaste


Ficaste, eternamente,

No coração que por ti bateu.

Neste palpitar,

Vadio e inocente,

Que só em sonhos acontece

E dulcificam o despertar…

 
O teu rosto, o teu corpo, o teu perfume

Residem para mim ainda e sempre

No desejo em que te guardo

E aguardo impaciente

Porque o coração não dorme

Sonha nesse latejar…

domingo, 16 de junho de 2013

Chegaste...


Chegaste
Água e Fogo
E libertaste em mim
A tua própria essência.

És, agora, as minhas próprias asas
Nenhum cárcere nos pode prender.

Voas e o tempo perde o nome.
E eu bebo…
Apenas quando tens sede!

quarta-feira, 27 de março de 2013
















Alças-me do charco
Metamorfoseias-me
Num animal felino e esfaimado. 

Quero abocanhar o teu corpo
Saciar-me com a tua fome
Num prândio ígneo e suculento.

Ao ritmo da paixão
A cadência do teu desejo
Cobre-me,
Inflama estrelas,
Abre sendas,
E quebra barreiras.

Pela tua pele
Bebo prazeres perfumados
E em ti vogo para lá do Olimpo…

Mostra-me as tuas veredas
Nem que atrase a eternidade
Porque o amor
Está para lá da Terra,
Do Céu e do Inferno.

domingo, 23 de setembro de 2012

Desejus


Humedeço a minha língua
Na saliva do teu beijo
A vontade de te querer
Cresce mais do que o desejo!...
 
Rompe muros e paredes,
Tempestades e vendavais!
Descerras teu ventre em mim
Eu quero sempre mais e mais…
 
Sente o que diz o meu sexo
Nesse vai e vem ternurento
Em cascatas de deleite
Dança no ventre suculento…
 
Quebramos crenças e costumes,
Preconceitos e tabus!
Descobrimos os nossos sonhos
Com os corpos suados e nus!...
 
Enlouqueces-me com teus pedaços
Desiguais no seu sabor
A balada do teu gemido
Tem a letra do nosso amor!...

domingo, 9 de setembro de 2012

Sorriso Ardente


Um sorriso ardente

Incendeia o céu do desejo…


Ascende pela pele nua

Traduzindo sabores

E diferentes vontades a refartar…


O mundo voa

E apenas os teus lábios

Fazem companhia aos meus,

Passeando sem rumo

E sem pressa em chegar…


Uma noite de veludo deposita-se profundamente na nossa pele,

Como se fosse acariciá-la para sempre.

Por isso o nosso voo parece eterno,

Como se as asas do tempo não finassem.
 

Acende-se a noite!


Num instante,

O chão se torna inferno

E o silêncio se torna gemido.


A noite é escassa,

Sem tempo para saciar com tempo…

O vento sopra possante como se quisesse desenraizar-nos

E só os sonhos parecem reais, ligando-nos ao futuro.


O sol põe-se como se ejaculasse

E cada manhã nasce sorridente.

 
As livres gaivotas de um amor descoberto

Sonham com a nossa paixão,

Com este violino de deleite a recitar sentimentos,

Com este suspiro de prazer que nos quer libertos.


Este é um tempo de todas as vontades,

Para que as flores do sonho e da alegria possam desabrochar…

 

 

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Mergulho


 
Mergulho na enseada sensual dos teus gestos,

Entre vagas amenas e impetuosas,

Húmido do teu beijo

E nado em braçadas melífluas, vagarosas…

 
Escuto o “Canto da Sereia”,

Em tons gemidos e suspirados,

Submerso no ventre do paraíso

Afundo nos teus lábios ensopados!

 
Ondulando ao compasso do desejo

Entoando, a duas vozes, este prazer

Sinto-te vir, sem qualquer pejo,

Nesse timbre louco em satisfazer!...

 
E quando a tempestade se atenua

Em ventos serenos e perfumados

Tudo recomeça na pele quente e nua

Entre beijos doces e salgados…

 

 

 

 

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Varanda de Hotel




Há um perfume lascivo na tua pele

Que apetece inalar…

Deslizo o meu rosto nesse flúmen de seda

E desaguo nos teus seios em cascata 

Humedecendo-os,

Moldando-os no meu peito,

Numa tempestade tropical de desejo…

Sinto a tua líbido,

Como se escutasse uma melodia de Chopin

E em cada nota dessa cadência silenciosa

Embebo o teu arrepio,

Num desassossego desinquieto,

Para te penetrar

Sem serenidade,

Sem suavidade,

Numa conquista do corpo,

Incapaz de serenar no momento da posse!...

Beijo após beijo,

Despontam, sempre, novos sabores,

Como se de uma caixa de bombons se tratasse …

E neste furor inquietante

Diluis o néctar da paixão na tua saliva

E deixo-me vir na embriaguez

Que se dissolve no meu sangue

E amarra nossas almas…

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

O segredo do teu olhar
Desfaz sombras pardacentas,
Amanhece o meu sorriso,
Rasga as nuvens cinzentas!...

Boiam nacos de mistérios
No oceano sem fim…
É todo um mar de desejos
Isto que sinto em mim.

Em gestos soltos sinuosos
Desembraveces as fantasias
Sustentas a minha alma,
Abrilhantas os meus dias!...

terça-feira, 22 de maio de 2012

Desejo de lobo


Sinto os deuses eufóricos
Em gritos estridentes e rasgados
Numa dança orgástica e triunfal.
Sangra a garganta do lobo

O uivo encarcerado do desejo
(é tão doce, à noite, o sabor da tua carne quente!)
Pintando de vermelho
A boca sedenta da paixão.


O teu perfume dilacera
A dura crosta que me esconde
E desperta luxúrias jamais fantasiadas…
A música toca o clímax do fogo
Em acordes selváticos e penetrantes


Rompendo a sisudez habitual
Derramando o prazer
Perder-se num amor eterno
(É a coisa mais bela que me assola!)


Que agarro com garras e com dentes.
Como os sensíveis, serei também sensível
E, solitariamente, uivo pela noite dentro
Com o hálito cálido do teu nome…